sábado, 16 de outubro de 2010

Coma

Meu pinguim, natimorto, morto-vivo, intensamente presente, aos poucos desgastou-se em pilhérias, fechou os olhos e dormiu. Dorme, ainda dorme, sonha deveras, numa zona de insconsciência catatônica.

Coitado, necessita de exercícios fisioterapêuticos... atrofiará?

Creio que não, seu tédio ainda pulsa em cada músculo inerte, mantendo o prenúncio do movimentos que jamais se realizarão.

Nenhum comentário: