quinta-feira, 22 de março de 2012

Caos

Podemos viver o caos, vivenciá-lo em seu devir, mas nunca representá-lo, apreendê-lo pela conaciência. Todo caos se organiza em padrões, a vida possui padrões inquestionáveis, mas nem sempre determinados. Nossa relação se dá com um mundo prenhe em organização, e por isso possui um horizonte de caos.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Big Bang ontológico

A ontologia do Ser Bruto de Merleau-Ponty aponta para uma região de promiscuidade entre eu-outro, razão-desrazão, sujeito-mundo. Região na qual emerge as primeiras diferenciaçoes de sentido. O que há para além disso?
Existe, como na vida, uma região anterior ás primeiras diferenciações, uma fusão inicial como berço de todo o Ser. Um além da metafísica? Um Big Bang, anterior às leis da fisica?
Não sei se há algo ou um vazio, mas sei que somente podemos permanecer em um entoeno [?], como se nosso saber e sentir fosse um toro, mas no qual nos encontramos não circulando um vazio, mas circulando a nós mesmos. O ser é auto-contido e, se não há ser, mas um constante devir e jogos de forças, a tese fica ainda mais estabelecida, pois esse se dá na multiplicidade, e a questão do uno desvanece.

terça-feira, 13 de março de 2012

Darwin, e que mais?

A vida é somente a sobrevivência do mais apto? Se assim fosse, a teoria somente parece dar conta da luta das especies, de um ambiente cuja sobrevivência é escassa, custosa.

Entretanto, o que se dá nas espécies que estão bem adaptadas, em um ambiente estável e pouco selecionador? Ou quando uma gama de mutações conseguem se conciliar no ambiente, sem uma disputa?

Há teorias que abarcam o excesso vital, quando o organismo se multiplica, se diversifica, começa a exibir uma mais-valia vital, que não se dá como um aleatório, mas se organiza, se estrutura conforme suas condições de campo.