sábado, 16 de junho de 2012

Àfalo

Venho aqui expressar que sinto-me castrado. Porém, a perda de um falo não resultou em uma tristeza absoluta mas, o que é pior, levou-me a um estado de depressão construtiva, bem ao gosto dos psicanalistas.

Não tenho muito tempo, tenho que buscar minha vida nos códigos monetários. Não que isso seja algo novo a mim, mas somente o peso da labuta cansa-me... retomo esses parágrafos em outro momento, nem sei quando a labuta começou a cansar-se, quando o cotidiano tornou-se hábito, mas sei que, a poucos dias de férias, sinto como se minha bexiga mental estivesse por explodir, tal como a real se comprime mais violentamente na razão direta da distância do banheiro. 

Esse era outro trecho perdido, buscando completar-se em algo mais consistente, mas que ficou pelo meio, nada mais digno de um eunuco social.

Nenhum comentário: